PROCEDIMENTOS PARA O CORPO

NINFOPLASTIA | PLÁSTICA DOS LÁBIOS VAGINAIS

Sobre o procedimento

A cirurgia de Ninfoplastia consiste na remoção parcial do excesso dos pequenos lábios vaginais, sendo utilizada geralmente para correção estética dos lábios vaginais, quando estes crescem de forma anormal ou quando um cresce mais que o outro.

Sobre o Procedimento

No procedimento de ninfoplastia, são ressecados apenas os pequenos lábios que estão aumentados, deixando-os no tamanho normal, pois estes lábios tem como função a proteção da vagina dos microorganismos, e também auxiliam na lubrificação local.

Já em pacientes que desejam aumento dos grandes lábios vaginais, podemos realizar na Ninfoplastia, o enxerto de gordura autógena (gordura da própria paciente). Neste caso, a gordura para a lipoenxertia pode ser retirada do monte de Vênus ou do abdômen da paciente.

Onde se localizam as cicatrizes

A cicatriz fica localizada na mucosa vaginal, bilateralmente. Além desta cicatriz, no caso de lipoenxertia dos grandes lábios vaginais, terão as cicatrizes pequenas da lipoaspiração.

Ninfoplastia

Tipo de anestesia

Raquianestesia ou anestesia geral (quando a Ninfoplastia for associada a outros procedimentos).

Duração do ato cirúrgico

Em média 1 hora. 

O tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência da paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois esta permanência envolve também o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória.

Internação

Geralmente, 24 horas.

Curativos

Geralmente, orientamos deixar a região dos pontos bem seca, protegida com um chumaço de gaze e calcinha confortável.

Sobretudo, qualquer reação alérgica aos curativos deve ser imediatamente comunicada ao Dr. Diego Rovaris.

Retirada de pontos

Os pontos utilizados são absorvíveis e caem naturalmente entre 7 a 20 dias do pós-operatório.

Riscos

Toda cirurgia envolve algum tipo de risco à saúde. Entretanto, este risco varia conforme o tipo de cirurgia; as condições clínicas pré-cirúrgicas do paciente; as características individuais; predisposições hereditárias (de nascença); o tempo de duração da cirurgia e o tipo de anestesia realizada.

O fumo, o uso de anticoncepcional oral e hormônios, bem como o consumo de drogas lícitas e ilícitas, álcool e o uso de substâncias e medicamentos não informados ao cirurgião, podem desencadear complicações durante e após a cirurgia, aumentando o seu risco.

Existe a possibilidade, ainda que remota, de ocorrerem complicações leves, moderadas ou graves, tais como: cicatrização hipertrófica, queloide, abertura de pontos, sangramento, infecção, tromboses venosas profundas, embolias pulmonares, infartos, arritmias cardíacas, derrames, isquemias cerebrais e, mais raramente, óbito (morte).

Resultado

O resultado esperado se apresentará após o 6º mês, devido a cicatrização. Mas a partir do 2º mês já é possível identificar resultado bastante significativo. É importante ter em mente que o conceito de beleza e satisfação pessoal é algo muito subjetivo; muitas vezes o resultado que o paciente deseja não é possível de ser alcançado pelas técnicas cirúrgicas consagradas. A melhora a ser obtida será baseada na situação inicial pré-operatória individual, e não em comparação a outros pacientes ou um eventual padrão de beleza.

Orientações pós-operatórias
  • Sempre lavar as mãos antes de tocar na vagina;
  • Obedecer e seguir a receita médica entregue na alta hospitalar;
  • Movimente várias vezes os pés e as pernas. A cada 2 horas deitada, caminhe 10 minutos. Aconselhável o uso de meia elástica durante 30 dias após a cirurgia, como medida preventiva à trombose profunda e embolia;
  • Não dirigir carro por 14 dias. Não dirigir moto por 90 dias;
  • Não movimentar quadril e pernas em excesso.
  • Não realizar atividade física por 30 dias;
  • Evite molhar por 24 horas. Mantenha seco e limpo o curativo;
  • Fazer compressas com gelo por 10 minutos, 4 vezes ao dia, nos primeiros 3 dias;
  • Em caso de dor intensa, em queimação, utilizar Andolba spray: 2 jatos na região dos pontos, à cada 6 horas;
  • Qualquer aparecimento de espinhas, alergia ou vermelhidão deve informar imediatamente ao médico;
  • As roupas devem ser frouxas; não vestir calças, bermudas e shorts justos. Usar calcinhas de algodão e confortáveis;
  • Drenagem linfática é orientada conforme a evolução da cirurgia. Geralmente inicia-se após o 3º dia de pós-operatório. A drenagem linfática influencia no resultado final de sua cirurgia. Por tal motivo, recomenda-se dar preferência por profissionais indicados por seu médico. 
  • Evitar ganho de peso que poderá prejudicar a sua cirurgia e as cicatrizes;
  • Relação sexual: após 30 dias, utilizando lubrificante vaginal.
Orientações gerais
  • Alimentação: priorize uma alimentação balanceada, rica em frutas, verduras e legumes. Não ingerir frutos do mar, camarão, carne de porco, pimenta, shoyo, gorduras, frituras e alimentos condimentados;
  • Caso você tenha animal de estimação em casa (cão ou gato), evite contato direto com eles nos primeiros 20 dias de pós-operatório e, em hipótese alguma os deixe subir em seu leito. O contato com qualquer tipo de secreção (especialmente a saliva de cães e gatos) pode elevar o risco de contrair uma infecção com consequências potencialmente sérias;  
  • Voltar ao consultório para acompanhamento e curativos, nos dias e horários estipulados;
  • Tire com seu cirurgião plástico, e somente com ele, eventuais dúvidas;
  • É importante ter em mente que o bom resultado final de sua cirurgia também depende de você.