PROCEDIMENTOS REPARADORES

TRATAMENTO DE QUEIMADURAS

Sobre o procedimento

Primeiramente, as queimaduras são lesões decorrentes de agentes (tais como a energia térmica, química ou elétrica) capazes de produzir calor excessivo que danifica os tecidos corporais e acarreta a morte celular.

Sobre o Procedimento

Tais agravos podem ser classificados como queimaduras de primeiro grau, de segundo grau ou de terceiro grau. Esta classificação é feita tendo-se em vista a profundidade do local atingido. Por sua vez, o cálculo da extensão do agravo é classificado de acordo com a idade. Nestes casos, normalmente utiliza-se a conhecida regra dos nove, que leva em conta a extensão atingida, a chamada Superfície Corporal Queimada (SCQ).

Cálculo da superfície corporal queimada

Inicialmente, é feita a avaliação da extensão da queimadura, em conjunto com a profundidade, a eventual lesão inalatória, o politrauma e outros fatores que determinarão a gravidade do paciente. Além disso, o processo de reparação tecidual do queimado dependerá de vários fatores, entre eles a extensão local e a profundidade da lesão.

A queimadura também afeta o sistema imunológico da vítima, o que acarreta repercussões sistêmicas importantes, com consequências sobre o quadro clínico geral do paciente. Dependendo da gravidade do caso, o paciente pode realizar o tratamento de queimaduras ambulatorialmente ou com internação hospitalar no Centro de Tratamento de Queimados.

Portanto, é muito importante um acompanhamento de um Cirurgião Plástico durante todo o tratamento. Dependendo da profundidade da lesão o tratamento consiste somente em curativos especiais; e em lesões de terceiro grau na realização de enxertos de pele.

Medidas gerais imediatas e tratamento da queimadura

Limpe a ferida com água e clorexidine degermante, porém, na falta deste, use água e sabão neutro. E então, dirija-se ao Hospital se as condições clínicas permitirem ou chame o serviço móvel de urgência.

Profundidade da queimadura
  • Primeiro grau (espessura superficial) – eritema solar: Afeta somente a epiderme, sem formar bolhas. Apresenta vermelhidão, dor, edema e descama em 4 a 6 dias. 
  • Segundo grau (espessura parcial-superficial e profunda): Afeta a epiderme e parte da derme, forma bolhas ou flictenas. A restauração das lesões ocorre entre 7 e 21 dias. 
    • Superficial: a base da bolha é rósea, úmida e dolorosa.
    • Profunda: a base da bolha é branca, seca e menos dolorosa (profunda). 
  • Terceiro grau (espessura total): Afeta a epiderme, a derme e estruturas profundas. É indolor. Existe a presença de placa esbranquiçada ou enegrecida, e também possui textura coreácea. Não reepiteliza e necessita de enxertia de pele (indicada também para o segundo grau profundo).

Considera-se queimadura grave:
  • Extensão/profundidade maior do que 20% de SCQ em adultos;

  • Extensão/profundidade maior do que 10% de SCQ em crianças; 

  • Idade menor do que 3 anos ou maior do que 65 anos;

  • Presença de lesão inalatória;

  • Politrauma e doenças prévias associadas;

  • Queimadura química;

  • Trauma elétrico;

  • Áreas nobres/especiais; 

  • Violência, maus-tratos, tentativa de autoextermínio (suicídio), entre outras.

Critérios de transferência de pacientes para unidades de tratamento de queimaduras:
  • Queimaduras de 2° grau em áreas maiores do que 20% da SCQ em adultos. 
  • Queimaduras de 2° grau maiores do que 10% da SCQ em crianças ou maiores de 50 anos. 
  • 3° grau em qualquer extensão. 
  • Lesões na face, nos olhos, no períneo, nas mãos, nos pés e em grandes articulações.
  • Queimadura elétrica. 
  • Queimadura química. 
  • Lesão inalatória ou lesão circunferencial de tórax ou de membros.  
  • Doenças associadas, tentativa de autoextermínio (suicídio), politrauma, maus-tratos ou situações sociais adversas.